EDIÇÃO 345 – 18 de junho de 2010

 

Mansão à venda é a segunda propriedade mais cara do mundo
Uma incrível mansão na Avenue Foch em Paris foi colocada para venda por US$ 140 milhões, tornando-se o segundo imóvel residencial mais caro do mundo, atrás apenas de uma propriedade em Beverly Hills, cujo valor atinge US$ 150 milhões. Oferecida por Daniel Féau, afiliado da Christie`s Great Estates, a propriedade ultra-exclusiva foi construída em 1912 para a duquesa de Montmorency e representa uma oportunidade extremamente rara de adquirir uma das últimas grandes casas particulares da cidade. No momento da morte da duquesa, em 1927, a mansão foi adquirida pelo famoso magnata e colecionador de arte Antenor Patino. Os cerca de 2600 metros quadrados da casa conta com 12 quartos e 12 banheiros, juntamente com quatro apartamentos para empregados. Muitos elementos da sua decoração incrivelmente rica vêm de mansões mais velhas e são de importância histórica, incluindo painéis de madeira do século 18, dezenas de lareiras em mármore e um teto estilo museu na enorme sala de jantar, pintada pelo grande pintor francês pós-impressionista Henri Rousseau. O interior luxuoso também possui lustres de cristal, enormes colunas coríntias, molduras douradas e piso de mármore. A Avenue Foch, um dos endereços mais caros e prestigiados do mundo, é o lar de muitos palácios privativos, incluindo os da família Onassis e Rothschild.

Da redação – São Paulo / SP
Telas de Tiacho Baenninger caem nas graças dos investidores de arte.
Natural de Fernandópolis/SP, mudou se para Bebedouro, também em São Paulo e trabalhou no ramo de flores naturais, descobrindo ali a magia das texturas, cores e composições que mais tarde viriam inspirar o seu trabalho. Em 1993 mudou-se para Paraty, onde descobriu a arte Naif; uma efusão de cores, possibilidades e formas, assim como eram as flores do passado. Espontâneo, primitivo, o artista mostrava a autêntica vocação para a criação artística. 


Com os primeiros trabalhos vieram sua marca, seu DNA: o colorido vibrante, puro, o inusitado de sua visão voltada para o folclore, festas religiosas, atividades campestres, incluindo no seu trabalho os habitantes, turistas e a arquitetura de Paraty. Tiacho Baenninger capta em suas telas o lado cômico e pitoresco de cada região, através de uma efusão de cores. Foi em Paraty onde surgiu a primeira oportunidade do artista de fazer uma exposição na Alemanha, ‘Horizont Atelier Fridberg’. 


Participou da Bienal de arte Naif em 1996 e teve duas de suas telas selecionadas. Ambas fazem parte do livro da Bienal de Arte Naif SESC Piracicaba ano 1996, sendo que uma delas foi premiada em uma Coletiva de Artistas Plásticos na cidade de Bebedouro, (com a tela Procissão do Fogaréu). Estas duas telas hoje adornam a Casa Turquesa Maison de Hotès em Paraty (www.casaturquesa.com.br).


Em 1998, participou e ganhou o prêmio Destaque da Bienal de Arte Naif do SESC Piracicaba com a tela ‘Pelas Estradas do Brasil’ que faz parte do acervo do SESC Piracicaba. Mudou-se em 1998 para os EUA, onde voltou a exercer a profissão de floral designer, sem nunca abandonar este universo de criação, cores e formas. Chegou a expor seu trabalho em praças públicas e galerias na Europa divulgando o Naif brasileiro. Hoje seus coloridos e alegres trabalhos podem ser vistos e admirados em vários países do mundo. (Fonte: Drummond Comunicação)

 

© 2010 Tiacho Baenninger Todos os direitos reservados